sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Extinção Prólogo



Prólogo

Não lembro em que ano estamos e isso tão pouco me interesse, o que importa é que nós os humanos precisamos viver mais um dia, a fim garantir a continuidade da nossa raça. Há muito não usamos energia durante a noite, pois isso atrairia os predadores até nosso esconderijo, também não moramos mais nas grandes aldeias, elas agora são territórios proibidos. Vivemos no escuro fugindo e lutando para sobreviver.
Eu faço parte de um pequeno grupo de guerreiros de elite chamado o circulo. Desde os sete anos fomos preparados para lutar, todas as nossas brincadeiras foram elaboradas com a finalidade de competir e enfrentar nossos medos. Aos 14 anos somos enviados para os esgotos e obrigados a passar uma semana lá, os que conseguem voltar ganha o direito de entrar para o circulo. Garanto que não é um lugar para se estar nem por mais de uma hora, quanto mais por sete dias, como sei disso? Já fui mais vezes do que alguém tenha imaginado, mas confesso que não quero mais voltar para aquele lugar maldito, até hoje tenho pesadelos com o por causa das incursões naquele inferno. Acreditem quando falo que mandaram todos os loucos da terra para viver nos esgotos. E sei que ha coisas bem pior por lá, mas como já mencionei anteriormente não gosto de recordar essas oras escuras da minha vida.
Sobre o circulo, ninguém é o brigado a colocar seus filhos no grupo, mas todos sabem, quando os gritos começam somos nós que combatemos o inimigo. Por isso por mais cruel possa parecer treinar crianças e depois colocar os jovens no inferno garante que os que saiam de lá sejam guerreiros prontos para a batalha.
Usamos armas as melhores, todavia não temos fabricas e por isso munição é coisa rara. Então improvisamos, luta com bastões, combate corporal, muita ginástica e estratégia militar, somos maquinas de matar. Mas acreditem se não fosse nossa capacidade de improvisar estaríamos mortos no primeiro combate. Nossos predadores são velozes, fortes e não tem compaixão, e por que deveriam somos comida apenas isso.
Nossa missão começa assim que anoitecer. Vamos à busca do homem do passado, ele é a chave para sairmos das trevas. Assim é o que falam os nossos anciões e médios, pessoas que prevêem o futuro, existe um problema: o futuro ele sempre muda e confesso nunca muda para melhor. Apreendemos que não há situação segura ou lugar sem que um soldado não proteja o outro.
Estou escrevendo para que se um dia alguém sobreviver a essa era de medo, possa contar para os nossos descendentes que alguém lutou por eles.
Assinado: Roberto comandante do grupo Delta membro do circulo.

Um comentário:

  1. Mychele Magalhães Velloso25 de março de 2010 17:40

    Eitha amigo... cada dia fico mais fã do seu trabalho... continue na fé... parabéns.
    Mychele Magalhães Velloso

    ResponderExcluir